Introdução Alimentar: Guia Completo para o Início da Alimentação do Seu Bebê

Introdução Alimentar: Guia Completo para o Início da Alimentação do Seu Bebê

A introdução alimentar é um momento crucial no desenvolvimento do bebê, e muitas dúvidas podem surgir sobre quando e como iniciar esse processo. A Sociedade Brasileira de Pediatria recomenda que a introdução alimentar comece por volta dos seis meses de idade. O pediatra orientará como deve ser feita a introdução das papinhas principais e das papinhas de frutas para o seu bebê.

Como Iniciar a Introdução Alimentar

Durante o início da introdução alimentar, é comum que os bebês façam caretas e rejeitem alguns alimentos. No entanto, com o tempo, eles se acostumam e podem até chorar quando a comida acaba. Por exemplo, meu filho não gostava de banana no começo, mas adorava outras frutas.

Dicas Importantes para a Introdução Alimentar

  1. Consistência da Refeição: A comida deve ser amassada, sem peneirar ou liquidificar, para manter uma consistência pastosa, semelhante a um purê.
  2. Horários das Refeições: Procure fazer as refeições nos mesmos horários das refeições da família para criar uma rotina alimentar saudável.
  3. Método BLW: A Sociedade Brasileira de Pediatria apoia o método BLW (Baby Led Weaning), onde o bebê é incentivado a usar as mãos para explorar diferentes texturas dos alimentos. Isso é essencial para o aprendizado sensório-motor.

Progressão das Refeições

  • Aos 7 Meses: Introduza duas papas salgadas e duas papas de frutas por dia.
  • Aos 12 Meses: A criança deve ter três refeições principais (café da manhã, almoço e jantar) e dois lanches de frutas.

Benefícios da Introdução Alimentar Adequada

A introdução alimentar adequada promove o desenvolvimento saudável do bebê, ajudando-o a adquirir hábitos alimentares saudáveis desde cedo. Além disso, permite que a criança explore novos sabores e texturas, contribuindo para um paladar mais diversificado no futuro.

Alimentação Complementar

O Departamento de Nutrologia da Sociedade Brasileira de Pediatria recomenda a introdução seja feita aos seis meses (mesmo para as crianças que consomem fórmula infantil), quando o desenvolvimento neuropsicomotor e os sistemas digestivo e renal estão plenamente prontos para receber alimentos diferentes dos líquidos.

Faixa etáriaTipo de alimento
Até 6º mêsLeite materno
6º a 24º mêsLeite materno complementado
6º mêsFrutas (amassadas ou raspadas)
6º. mêsPrimeira papa principal (almoço ou janta)
7º a 8º mêsSegunda papa principal (allmoço ou janta)
9º a 11º mêsGradativamente, passar para a refeição da família com ajuste de consistência
12º mêsComida da família - observando a adequação dos alimentos consumidos pela família

Como Deve Ser a Primeira Refeição?

No horário do almoço ou jantar, junto com família. E deve conter:

Cereais ou tubérculosLeguminosasProteína animalHortaliças / Verduras
• Arroz• Feijões• Carne bovina• Alface
• Milho• Soja• Vísceras• Couve
• Macarrão• Ervilha• Carne de frango• Repolho
• Batata• Lentilhas• Carne suína• Tomate
• Mandioca• Grão de bico• Carne de peixe• Abóbora
• Inhame• Ovos• Cenoura
• Farinha de trigo• Pepino
• Aveia

Quais Alimentos Devem ser Evitados na Introdução Alimentar?

• Alimentos industrializados ou embutidos
• Mel
• Chás
• Refrigerantes e sucos
• Café, puro ou com leite
• Água de coco
• Entre outros com excesso de sódio, açúcar e gordura.

Como Higienizar Frutas, Verduras e Hortaliças?

  1. Selecionar, retirando as folhas e partes deterioradas;
  2. Vegetais folhosos (alface, escarola, rúcula, agrião, etc.) devem ser lavados em água corrente, folha a folha e as frutas e legumes, um a um;
  3. Colocar de molho por 10 minutos em solução de hipoclorito de sódio 2,5% (20 gotas de hipoclorito para um litro de água), ou vinagre;
  4.  Enxaguar.
  5. Para reduzir o risco de contaminação dos alimentos por agrotóxicos, utilize bicarbonato de sódio a 1% (imergir os alimentos por 10 minutos em uma colher de sopa de bicarbonato para 1L de água);
  6. Enxaguar.
  7.  Manter sob refrigeração até a hora de servir.

Meu filho não come, o que fazer?

Primeiro, converse com o pediatra. A introdução à alimentação complementar nem sempre é uma tarefa fácil e pode ser acompanhada de comportamentos, como a recusa alimentar, preferência por alimentos limitados, restrição a grupos ou tipos específicos de alimentos e aversão a múltiplos alimentos. Esta situação pode ser passageira ou se apresentar durante todo o crescimento, em diferentes fases, como na introdução do alimento complementar, modificação da consistência da alimentação infantil para mais sólida, idade pré-escolar, escolar e adolescência.

Com isso, a consulta com um profissional é importante para avaliar a criança e todo o contexto em que está inserida, a família e seu entorno, e não somente à condição clínica.

Amanda da Silva Santos | CRM: 128985 | @draamandassantos

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

59 + = 67